3 técnicas para administração de empresas

2016-09-8_dia do administrador-01
Escolher uma profissão é assumir uma missão. Tornar os recursos disponíveis, por menores que sejam, suficientes para atingir os objetivos de uma empresa, é a missão de um administrador.

Sem ele, provavelmente muitas empresas fechariam ou, até mesmo, nem chegariam a existir!

Por isso, em homenagem a esse profissional que garante a existência e o desenvolvimento dos empreendimentos, separamos 3 técnicas bastante úteis para a administração de uma empresa:

 

1) Análise SWOT

Você já parou para avaliar se a estratégia da sua empresa está de acordo com o mercado?

A análise SWOT é uma ferramenta que irá te ajudar a traçar um planejamento estratégico que proporcionará uma visão completa dos pontos fortes e fracos da organização, além de oportunidades e ameaças do ambiente externo.

Nessa análise, uma folha é dividida em 4 partes e, nela, o administrador elenca quais são os pontos fortes da empresa no primeiro quadrante, os fracos no segundo, as oportunidades que o ambiente externo proporciona à empresa no terceiro e, no último, as ameaças desse ambiente perante à organização. Dessa forma, é possível analisar quais atitudes devem ser tomadas para melhorar o negócio.

 

2) Matriz BCG

Você conhece o ROI de cada produto ou serviço da sua empresa?

A matriz BCG é usada para analisar o portfólio de produtos ou serviços de uma empresa. Nela, classifica-se os produtos (ou serviços) que possuem mais crescimento no mercado e também sua participação relativa no mesmo. Dessa forma, é possível descobrir quais dos produtos/serviços são os que têm mais retorno com menos esforço.

Assim como a análise SWOT, a matriz BCG é composta por quatro quadrantes. Em cada um deles, classifica-se os produtos como “estrela”, “ponto de interrogação”, “vaca leiteira” e “abacaxi”, como mostra abaixo:

matriz BCG

De acordo com a matriz, o “ponto de interrogação” é aquele produto que possui baixa participação num mercado que é crescente e, por isso, precisa de grandes investimentos para conquistar maior participação. É geralmente algum produto que está em fase de lançamento.

Já a “estrela” é aquele produto que possui alta participação de mercado onde há um alto crescimento e, assim, exige mais investimentos para continuar sendo “líder de mercado”. A “vaca leiteira” é aquele que não tem alto crescimento, porém possui grande participação de mercado. É o produto que possui um certo tipo de maturidade e, por isso, não demanda grandes investimentos.

Por último, o “abacaxi” é o que possui baixa participação de um mercado que não está em crescimento, ou seja, aquele produto não tão promissor. Esses devem ser evitados ao máximo.

 

3) 5 Forças de Porter

Você sabe se a sua empresa é mais forte do que os concorrentes?

A técnica foi desenvolvida por um dos mestres da administração, Michael Porter, baseia-se na análise de concorrentes, poder de barganha e ameaça de novos entrantes através de 5 perguntas:

– Quem são e qual é a rivalidade entre você e seus concorrentes?

– Que produtos podem substituir os seus a curto prazo?

– Qual é o seu poder de barganha em relação aos seus fornecedores?

– Qual é o poder de barganha dos seus clientes?

– Como você pode evitar a entrada de novos entrantes?

A partir dessas respostas, o administrador consegue obter informações que o guiarão nas decisões de precificação, negociação e criação de novos produtos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *