16 de Julho – Dia do Comerciante

No dia 16 de julho, é comemorado o Dia do Comerciante – o profissional essencial para girar a economia do país com todo o seu talento, criatividade, inovação e coragem para tocar o seu negócio.

Em homenagem a esse dia, separamos algumas dicas listadas pela Revista Exame e pela Pequenas Empresas & Grandes Negócios para ajudar a alavancar o seu comércio! Confira abaixo:

2017-07-14 (1)

9 dicas para vender mais em datas comemorativas

1) Antecipação de estoque: A sazonalidade e previsibilidade de datas especiais possibilitam ao empreendedor fazer boas negociações com fornecedores em períodos de baixa procura. Como não há muita demanda por itens de decoração de Natal no primeiro semestre, esse pode ser um bom momento para comprar produtos a preços atrativos sem correr o risco de atrasos de entrega e ausência de mercadoria do fornecedor.

2) Entenda quem é o consumidor: Em datas comemorativas normalmente alguém compra algo para o outro, essa ação geralmente está atrelada a uma oportunidade ou necessidade temporal. Escolher um produto para si mesmo em outras datas, além de ser mais fácil para o cliente envolve menos esforço do vendedor. Portanto, em períodos especiais o vendedor não deve apenas atender o cliente (shopper), mas deve entender as preferências do usuário do presente (consumidor). Nessa direção, uma abordagem bem feita pelo vendedor pode contribuir muito para o sucesso da venda.

3) Vendas on line: Se a loja também atua com vendas pela internet, desenvolva uma orientação que ajude o cliente a encontrar produtos relacionados àquela data. Seu site pode inclusive propor categorias de presentes conforme o perfil do cliente. Categorias como idade, sexo, estilo de vida, preços, ocasião de compra, dentre outros, podem ajudar o shopper indeciso a encontrar um presente ideal. Certifique-se ainda de que seu canal de buscas no site esteja funcionando adequadamente conforme palavras-chave procuradas.

4) Buscas na web: Um bom planejamento promocional de vendas na web leva em consideração um conjunto de palavras-chave usado em sites de busca. As palavras devem ter uma ligação próxima com o motivo de compra do cliente. Para isso, fique atento aos temas e datas do ano. Uma boa dica para isso é o site “Datas sazonais” que o Google preparou para auxiliar os empreendedores menos experientes. O site oferece dicas de busca e pacotes de palavras-chave em campanhas para Rede de Pesquisa e Rede de Display (por palavras-chave ou canais).

5) Prepare-se para o volume de atendimento: Todos sabem que nem todo atendimento gera demanda ou transação. Contudo o cliente tem pressa e quer atenção. Filas e demora no atendimento dão a impressão de desvalorização do cliente e são um convite para buscar a concorrência. Leve em consideração também a possibilidade de contratação de mão de obra temporária para períodos de pico.

6) Cuidados com a ambientação: A apresentação da loja é outro ponto importante para datas comemorativas. Proponha uma comunicação visual interessante e com produtos adequados à data: roupas brancas para o réveillon, presentes masculinos para o dia dos pais, brinquedos para o dia das crianças e assim por diante. Vitrines e websites devem seguir a mesma linha de ambientação. Lembre-se que o cliente ao entrar na loja com outro objetivo, pode se sensibilizar com a ambientação e aproveitar para adiantar a compra de um presente.

7) Atenção às promoções: Em datas comemorativas todos disputam a atenção do consumidor. Não bastasse isso, é necessário apresentar a melhor proposta dentre as ofertas disponíveis. Descontos, fretes gratuitos para vendas na web, parcelamentos estendidos, promoções temáticas (como sorteios e concursos culturais), cupons de desconto ou vale presentes são bem-vindos. Essa pode ser a oportunidade de atrair o cliente pela primeira vez na loja e, se houver uma experiência positiva, ele poderá retornar em outras ocasiões de consumo.

8) Comunicação: Avise com antecedência o cliente que a empresa já esta preparando um conjunto de produtos e ofertas especiais para a próxima data comemorativa. A ideia é lembra-lo da proximidade da data e fazê-lo considerar sua loja como uma das alternativas de compra. O contato pode ser por e-mail, redes sociais, pelos vendedores e nos espaços internos da loja através da comunicação visual.

9) Datas alternativas: Leve em consideração em seus esforços promocionais datas menos tradicionais que podem lhe render vendas adicionais. Para isso, fique atento aos calendários de datas comemorativas e prepare com antecedência as atividades para públicos bem segmentados usando o dia do amigo, da vovó, do advogado, do livro, da secretária, do professor e assim por diante.

 

loja

7 Dicas para fazer sua loja crescer

1. Encontre um nicho Um pequeno varejo não deve ter como objetivo atender todos os tipos de público. Determine em que área quer atuar, qual público quer atingir, ou que tipo de interesse especial pode atender, e mantenha o foco. Só assim poderá sair do lugar comum.

2. Planeje objetivos específicos A cada ano, o varejista deve renovar seu plano de negócio. Nesse momento, você deve pensar de maneira estratégica sobre a empresa e estabelecer metas de crescimento que possam ser mensuradas. Aproveite essa revisão para identificar quais são os recursos necessários para atingir o próximo nível de crescimento.

3. Invista em estratégia Se você não tem tempo nem para respirar, não conseguirá ter tempo para pensar o futuro do negócio. Analise quais são as tarefas que tomam um tempo exagerado e delegue para outro funcionário – se for necessário, contrate um assistente. Só assim ficará livre para usar seu real talento: pensar estrategicamente.

4. Use a tecnologia para ajudar o seu time Hoje, soluções que antes eram privilégio de grandes corporações também estão acessíveis para os pequenos negócios. Procure uma empresa de tecnologia que possa atuar como sua parceira e peça sugestões para tornar seu negócio mais digital. Lembre-se: hoje, a tecnologia é tão importante quanto os produtos que você vende.

5. Use as redes sociais para competir com os grandesEm plataformas como Twitter, Facebook ou Pinterest, seu negócio tem tanto poder quanto uma gigante do varejo. Aqui, o que conta é a autenticidade, a personalidade e a capacidade de se conectar com os consumidores. Use as mídias para conciliar conteúdo e vendas, agregando valor à sua marca.

6. Busque recursos para crescer Faça um planejamento detalhado e calcule se vale a pena se endividar para financiar o crescimento. Caso não possa contar com aportes e não queria encarar os juros bancários, pense em crowdfunding ou equity crowdfunding.

7. Adote um smartphone Quando seu cliente precisa de uma informação, o primeiro lugar onde vai procurar é a tela do celular. Garanta que seu site seja responsivo, aceite pagamentos pelo smartphone e assegure-se que sua loja pode ser encontrada facilmente no Google Maps. Dessa maneira, poderá conquistar clientes que estejam circulando nas imediações e aumentar assim o seu faturamento.

 

comerciante3

5 dicas para deixar sua loja mais atrativa

1. Vitrine

Vitrine mal organizada e que acumula poeira reduz as chances de venda. “A primeira coisa que o cliente vê é a vitrine, por isso a dica é usar o espaço com cautela, sem expor produtos demais”, afirma Priscila. Se a entrada da loja é pequena, melhor dar preferência ao acesso dos clientes, ampliando a porta e transformando o interior da loja em uma grande vitrine.

2. Acabamento e decoração

Antes de decidir quais materiais de acabamento e objetos decorativos serão utilizados na loja, é importante considerar o produto que será vendido, o perfil do cliente e a identidade da marca. “Uma empresa que trabalha com artigos e serviços de baixo custo, por exemplo, deve abusar de fórmicas e madeira. Já para quem atua em um segmento sofisticado são indicados materiais nobres como mármore e granito, combinando com elementos leves como o vidro e o aço inox.”

3. Cores

Utilizar tons fortes, divergentes da marca, e aplicá-los em espaços fechados são erros comuns. “A dica é mesclar cores neutras – como branco, cinza e bege – com as que representam a identidade da marca. Deve-se ponderar na utilização dos tons fortes para não diminuir os espaços”, diz Priscila.

4. Organização

Corredores apertados, produtos empilhados e ambiente desorganizado são alguns dos problemas mais frequentes no varejo. Segundo Priscila, mais importante que encher as prateleiras e vitrines é oferecer um ambiente confortável aos clientes e funcionários. “A circulação deve ser pensada para que as pessoas transitem tranquilamente, sem ficar esbarrando nas coisas e sentindo-se oprimidas.”

5. Conforto

Ter um espaço comercial projetado para o conforto dos consumidores traz mais seriedade à marca e aumenta as chances de concluir a venda. Fatores como climatização, iluminação, acessibilidade, lugares para sentar e os tradicionais cafezinho e água valorizam o ambiente. Os banheiros, além de respeitarem normas da vigilância sanitária, devem ser projetados para facilitar sua limpeza e manutenção, transmitindo sempre aspecto de novo.

 

comerciante 1

5 dicas dos grandes varejistas para atrair e reter vendedores

1. Crie programas de treinamento contínuo Não adianta capacitar o funcionário que está chegando na empresa nos primeiros meses, e depois simplesmente deixá-lo trabalhando na loja. A nova geração, os millenials, tem necessidade de acumular novas experiências o tempo todo. Por isso, empresas como Walmart e Macy’s criaram programas de treinamento que nunca acabam. A cada novo módulo, os vendedores aprendem habilidades diferentes, que podem capacitá-los para promoções dentro da empresa.

2. Promova o entrosamento entre diferentes áreas da empresa É importante que o vendedor sinta-se parte integrante do negócio do qual faz parte. Sempre que possível, organize reuniões entre funcionários de diferentes áreas e diferentes níveis de hierarquia. Isso fará com ele eles percebam que existem diferentes oportunidades de crescimento dentro da própria companhia.

3. Recrute estudantes com conhecimentos em tecnologiaPara conquistar o consumidor multicanal, é fundamental ter funcionários que dominem as últimas tecnologias disponíveis para o varejo, e sejam capazes de introduzir novidades hi-tech na loja. O melhor lugar para encontrar esses talentos são as universidades. É preciso criar programas e atividades que estimulem universitários a buscarem posições dentro do varejo. A Macy’s tem um time focado apenas na busca de talentos nas faculdades.

4. Não descuide do básico O avanço da tecnologia no varejo não significa que os vendedores tradicionais estão com os dias contados. Saber negociar com fornecedores, entender como funciona o estoque, desenvolver um bom relacionamento com o clientes: todas essas habilidades continuam sendo fundamentais para o bom funcionamento da loja. Tablets e sensores jamais vai substituir o vendedor nato: por isso, mantenha o olho aberto para esse tipo de talento na sua loja.

5. Dê ao vendedor as ferramentas de que ele precisaNão adianta o funcionário entender tudo sobre big data, se a loja não tiver o equipamento necessário para colher os dados do cliente que entra na loja, e o software adequado para analisar esses dados. Colocar tablets e celulares de última geração nas mãos dos vendedores é básico. Fornecer todas as informações possíveis sobre os produtos disponíveis e sobre o perfil do consumidor são atitudes fundamentais para melhorar as vendas.

 


Fontes: PEGN e Exame