Evitar acidentes de trabalho aumenta a produtividade dos colaboradores - Blog Nasajon

Evitar acidentes de trabalho aumenta a produtividade dos colaboradores

CIPAEm virtude das comemorações do Dia Internacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho, a Nasajon sugere que essa semana seja dedicada para a reflexão sobre esse assunto de tão importância, tanto para os empregados, quanto para os empregadores.

Segundo dados da Organização Mundial do Trabalho, acidentes e doenças ocupacionais são responsáveis por mais de dois milhões de mortes todo o ano. Outro estudo, desta vez realizado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento para a América Latina, aponta que cerca de 10% do PIB (produto interno bruto) é perdido por causa de acidentes de trabalho. Mesmo nos escritórios, empresas ou bancos a tarefa de digitação, repetitiva e diária pode causar nos funcionários lesões nos tendões ou músculos, gerando dores, dormência nas mãos, punhos ou pescoço que podem resultar em incapacidade temporária e até permanente para o trabalho.

A prevenção de acidentes representa, ainda, grande economia para o país, já que os gastos sociais decorrentes dos mesmos absorvem grande parte das verbas do Instituto Nacional de Seguridade Social e da Previdência Social. Esses recursos, que poderiam ser usados para melhorar a qualidade de vida do trabalhador brasileiro, estão sendo destinados a tratar e até mesmo sustentar vítimas de acidentes.

A legislação brasileira possui um amplo capítulo sobre acidentes de trabalho.  Um importante instrumento à disposição dos funcionários é a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – a CIPA -, constituída por representantes dos trabalhadores e empregadores. Em geral, a CIPA produz, publica e distribui jornais e boletins informativos aos trabalhadores, bem como promove reuniões periódicas e jornadas de treinamento.

É importante lembrar que as medidas destinadas a evitar acidentes dependem diretamente do tipo de atividade exercida, bem como da adoção de uma prática de educação e informação junto aos trabalhadores. Não basta que as normas sejam aplicadas e as providências sejam tomadas. Tudo isto depende da participação efetiva de toda a empresa.