Afinal, o eSocial vai acabar ou não? E como isso afeta a sua empresa? - Blog Nasajon

Afinal, o eSocial vai acabar ou não? E como isso afeta a sua empresa?

Por Claudio Nasajon

Nos últimos dias, o burburinho ficou por conta das idas e vindas do eSocial. Vai acabar? O que vai mudar? Como isso afeta as empresas?

Numa entrevista recente à Folha de São Paulo, o secretário especial do Ministério da Economia, Carlos Costa, afirmou que “a ideia do governo é acabar com o eSocial e ter um novo sistema simplificado”.

Sério?

Eu ia ficar quieto, não sou muito dado a conjecturar sobre boatos ou ficções, mas depois que ouvi alguns empresários dizerem que “vão esperar para ver o que acontece”, decidi me posicionar.

Talvez o que vou expôr ajude a esclarecer as ideias.

De tacada já compartilho com você a minha opinião:

eSocial veio para ficar e não vai acabar.

Pode ser até que mude de mãos e certamente será ajustado para ficar mais fácil de usar, o que não é novidade, já que ele vem sendo ajustado continuamente nessa direção desde que foi lançado…

…mas acho muito pouco provável que acabe.

E muito menos por causa de uma canetada presidencial.

Afinal, o sistema foi criado com a colaboração de diversos órgãos, incluindo a Receita Federal, o INSS e o próprio Ministério da Economia, para simplificar a vida do empregador e garantir os direitos do empregado.

Está amparado em decretos, leis, memorandos e dezenas de outros mecanismos para integrar os diversos guardiões das políticas públicas.

Mesmo se houvesse consenso no executivo, e não há, seria necessário muito mais do que apenas a “vontade de fazer”.

Não basta apertar um botão para acabar com tudo.

E ainda bem, porque foram mais de 5 anos de investimentos pesados, não só do governo, mas principalmente das empresas (e bota investimento das empresas nisso).

O resultado foi (é) um dos sistemas mais eficazes que já foram criados para fazer valer as leis trabalhistas no país e desburocratizar os processos empresariais.

Dá orgulho de ser brasileiro. Mais do que quando ganhamos na copa.

Claro que ainda precisa de ajustes. Além disso, como as leis mudam continuamente, o sistema nunca vai ficar “pronto”, do ponto de vista estático.

Ele vai evoluir com a legislação, os costumes, a tecnologia.

Como tudo mais que nos rodeia.

Outro ponto importante é que não há um consenso sobre as modificações do eSocial nem dentro do Ministério da Economia.

Parte da pasta defende que essas colocações representam “mais uma opinião do que uma política a ser colocada em prática”.

Portanto, na minha humilde opinião, o que vai acontecer com o eSocial é que ele continuará sendo ajustado para lapidar o processo, o que, como disse antes, não é nenhuma novidade.

Talvez mudem o nome, para usar com fins políticos, como o “bolsa família”, surgido da unificação dos programas “Bolsa Escola“, “Bolsa Alimentação” e “Auxílio Gás” que já existiam no governo anterior, mas o essencial não muda.

É no mínimo ingênuo acreditar que voltaremos a usar formulários de papel como antes ou que o eSocial será tão simplificado que não será mais necessário enviar as informações que permitem aos órgãos públicos monitorar a atividade econômica e a aplicação das leis.

Não vai acontecer.

Seja como for, nós fazemos a nossa parte.

O ERP Nasajon está 100% aderente ao eSocial da forma como ele está hoje e também está pronto para ser ajustado às mudanças que eventualmente vierem a ser implementadas no futuro. O melhor dos mundos 😉!

Portanto, se você precisa de um sistema de folha de pagamento atualizado, fácil de usar e com a segurança de uma empresa que ao longo dos últimos 37 anos se destacou como a que melhor atende ao consumidor no seu segmento, fale comigo.

Basta  clicar aqui  e preencher o formulário no site da Nasajon que um consultor comercial agendará uma demonstração sem compromisso.

Até a próxima!

Claudio Nasajon

Fonte: Blog Claudio Nasajon.